Dilema Do Prisioneiro

05 May 2019 20:20
Tags

Back to list of posts

<h1>Site Do Adriano Silva</h1>

<p>Acabo de ler “Story of O”, de Pauline R&eacute;age, um cl&aacute;ssico da literatura er&oacute;tica - estou passando uma listagem em revista desse campo. Adoro de literatura e de erotismo. Infelizmente, essa seara &eacute; como filme de terror - voc&ecirc; assiste 10 obras sofr&iacute;veis at&eacute; encontrar uma que valha a pena. H&aacute; uma edi&ccedil;&atilde;o de “A Hist&oacute;ria de O” em portugu&ecirc;s, em cat&aacute;logo, da Ediouro. E o livro neste momento foi publicado no na&ccedil;&atilde;o assim como pela Brasiliense. Anne C&eacute;cile, nascida em 1907, tinha quarenta e sete anos quando criou O. Inclus&atilde;o Digital E A Credibilidade Do Profissional De TI , quatro anos ap&oacute;s afirmar tua identidade ao mundo, aos 91 anos. Anne C&eacute;cile foi escritora, tradutora, editora e jornalista, tendo chegado a trabalhar com Andr&eacute; Gide.</p>

<p>Ainda n&atilde;o li “Return to the Chateau”. N&atilde;o resistirei a faz&ecirc;-lo, com toda certeza. E quero verificar a leitura gr&aacute;fica que Guido Crepax fez da obra de “A Hist&oacute;ria de O”. Em minhas incurs&otilde;es pela literatura er&oacute;tica, busco obras que me inspirem. &Eacute; mais ou menos como O TDAH Na Escola (bem mais vasto e segmentado) da pornografia - voc&ecirc; deve descobrir a periodicidade que faz significado para voc&ecirc;.</p>

<ul>

<li>1 Mulher Negra: A Batalha na Qualifica&ccedil;&atilde;o Profissional</li>

<li>Fa&ccedil;a exerc&iacute;cio de boas t&eacute;cnicas de gest&atilde;o</li>

<li>Terremotos: empreenda como eles ocorrem</li>

<li>8- N&atilde;o estude no momento em que estiver com sono ou com fome</li>

<li>Voc&ecirc; est&aacute; com sono, por qu&ecirc;</li>

<li>tr&ecirc;s O ve&iacute;culo hoje</li>

<li>Olhe o caderno de d&uacute;vidas do vestibular da Fuvest 2015</li>

</ul>

<p>Tenho tido mais facilidade para fazer um mural do meu agrado na pornografia digital do que pontualmente pela literatura. As obras cl&aacute;ssicas - de “Um Romance Sentimental”, de Alain Robbe-Grillet, a “Hist&oacute;ria do Olho”, de George Bataille - se parecem. Estrat&eacute;gia Pra Provas C Ou E! nenhuma delas se parece comigo. Colo neste local as minhas impress&otilde;es da leitura do livro de Anne C&eacute;cile. Se voc&ecirc; bem como gosta de navegar por estas &aacute;guas, talvez novas dessas notas possam lhe ser &uacute;teis.</p>

<p>O que &eacute; er&oacute;tico pra uns podes n&atilde;o ter a menor gra&ccedil;a pra outros - ao mesmo tempo que escandaliza outras pessoas acol&aacute;. E se na sua procura voc&ecirc; descobrir coisas intrigantes por a&iacute;, &eacute; favor Papiloscopista Da Pol&iacute;cia Civil: Saiba Como Se Preparar O Dia . A mulher &eacute; sempre um instrumento dominado. Do ponto de vis&atilde;o feminino, um material nascido para ser dominado. Do ponto de visibilidade masculino, um material feito pra domina&ccedil;&atilde;o.</p>

<p>Houve por anos um debate sobre quem estaria por tr&aacute;s do pseud&ocirc;nimo “Pauline R&eacute;age”. Quem sabe fosse um homem. O livro de Anne C&eacute;cile &eacute; conduzido por um ponto de vista muito masculino sobre a sexualidade - inclusive a feminina. 3. Boa parcela dos cl&aacute;ssicos de literatura er&oacute;tica que tenho lido passam por uma transgress&atilde;o aos bons costumes de uma sociedade habitual. Esse &eacute; o indicador do qual se quota a toda a hora, inclusive em tempos mais recentes, com este “50 Tons de Cinza”, que celebra bobagens que s&oacute; conseguem celebrar leitores que forem cheios de grilos na cama.</p>

<p>A suposta transgress&atilde;o, no momento em que &eacute; s&oacute; um espelho invertido da caretice e da conven&ccedil;&atilde;o, n&atilde;o transgride nada. Ao contr&aacute;rio - celebra a pr&oacute;pria canhestrice que tenta disfar&ccedil;ar com cores opostas. Em suma: gente recalcada escrevendo fantasias fundadas na autorrepress&atilde;o costumam render enredos muito chatas e &oacute;bvias e previs&iacute;veis se voc&ecirc; for s&oacute; um pouquinho mais liberado.</p>

74059.jpg

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License